Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

{ Já agora... }

... tinha passado cá a noite!

E não é que vieram contar a àgua às OITO DA MANHÃ? É mesmo boa hora para quem tem de ir trabalhar, levar miúdos à escola ou até mesmo dormir!

 

Ainda se fosse um gajo jeitoso para nos deixar bem dispostas para o resto do dia..! Agora uma meia leca envelhecida...! Humpf!

 

Onde é que se pode reclamar?! Do gajo, claro!  :P

smile28.jpg

 

 

[F5] Água.

 Esta foto foi tirada nas minhas últimas férias de verão.
É um dos ex libris da região Baixo Alentejana. A foto é da tão badalada e falada Barragem do Alqueva. É uma imensidão de água infinita, com uma magnitude impressionante. De tal maneira que eu tive um ataque de pânico... esta Pepper é mesmo parva!
Deixo-vos apenas uma amostra das várias fotos que tirei de diferentes pontos e de um ponto turístico giríssimo, que vale a pena ir visitar e apreciar...

Era Uma Vez O Sol...

 

Acordei às 6 da manhã a pensar que estava a cair uma grande chuvada. Voltei-me para a janela e vi, por entre as frestas das persianas, que o céu estava escuríssimo e que o sol ainda não tinha despertado. Voltei-me para o outro lado tentando descortinar se o barulho que ouvia era chuva ou vento nas folhas das árvores.

O despertador toca e eu preparo-me para ir para a rua. Ao sair, penso duas vezes se não seria melhor levar chapéu de chuva, mas apesar de tudo o calor mantém-se.

 

Atravessei Lisboa inteira para apanhar o bus do convento. Ao olhar através da janela, vejo que a santinha-do-pau-oco estava na fila do bus. Sendo impossível não me ver dentro do bus, uma vez que ela estava mesmo colada a mim mas do outro lado, entra, senta-se na outra fila de frente para mim e finge que não me vê. Ainda fiquei a olhar para ela para lhe dar os bons dias - sim, porque a mal-educada é ela - mas sua santidade ignorou-me completamente e eu também não me ia pôs aos berros no bus. Ok, tu é que sabes.

Por uma questão de fila de trânsito, ela decidiu sair uma paragem antes. Ao fazê-lo roçou em mim e continuou a fingir que não me viu! É incrível, não acham?

 

Não falei com a santinha-do-pau-oco acerca do assunto de ontem. Estou à espera de uma oportunidade "incisiva". Hoje, deixámo-la andar à vontade. Fez o que quis e lhe apeteceu e as lacaias seguiram vossa senhoria. Mas eu estou de olho aberto e ouvido alerta.

À hora de almoço, resolveu pregar um sermão aos putos sobre o seu comportamento e regras a cumprir. Os putos fizeram um caso dela tremendo.

 

Chegada a hora de regressar a casa, vou recolher a nossa "toalha" onde depositamos as mochilas e que serve de mesa para almoçar. Deparo-me com vários pacotes de sumo, guradanapoes e mais alguns lixos. Pergunto de quem é e mando colocar no lico. Aproximo-me de um pacote de sumo e de mais umas lixaradas e pergunto de quem é. A santinha ri-se e diz-me "é meu...". Sim, senhora, belo exmplo para as crianças, principalmente depois de lhe ter dado uma lição de moral EXACTAMENTE sobre isso! Só mais uma coisinha... nenhum outro adulto ou criança deixou lixo onde quer que fosse. Estamos no bom caminho e a ensinar bons princípios às crianças, very good!

 

MOMENTO DO DIA

 

(o já referido mijão para uma colega vindo da água e a caminho da toalha...)

 

- Estavas bestial na água... já perdeste o medo de ir para a água? É porque andas na natação? (a colega não deu resposta...)

  A água hoje estava mesmo fantástica (mas só molhou os calcanhares...)

 

 

Insólitos Pessoinha

 

 

Para aqueles que sentiram a minha ausência, ontem, cá vai a minha explicação. Ontem foi o dia de acontecer tudo!

 

A parte da manhã correu bem: levantar tarde e almoçar tarde. Da parte da tarde é que as coisas começaram a piorar. Como o tempo.

O primeiro insólito foi a minha reunião de condomínio. A administradora é um cromo daqueles que só feito um exemplar. E a pobre mulher fala, fala, mas não diz nada. Quer dizer, não avança na conversa ou no assunto. Haja paciência... de santa! O que vale é que eu tenho dois nomes de santa!

Quando voltámos a casa, o N. resolveu ligar o portátil. Glup! Dava um erro qualquer. Só nos dizia "boot mgr compressed" (ver a resolução deste problema no blog do N.: http://helldanger1.blogs.sapo.pt/). Ai a chatice! e o portátil insistia... Ok! Vamos fazer-te a vontade e ficas aí sugadito, portátil.

Fomos ligar o outro Pc fixo. Não queria ligar. Apitos para aqui e para ali, crek... crek... crek... Mas o que é que está a acontecer?! A revolta dos PCs? O fixo até tem estado de férias, não tem trabalhado! Bom, o n., com os seus dotes de carniceiro, abriu o PC para ver o que se estava a passar. Sem entrar em pormenores, só vos digo que o arranjou da forma mais simples possível e imaginária.

E o portátil, perguntam vocês? Ora... o portátil dizia aquilo porque o N. tinha comprimido o disco (nunca o façam!) e resolveu o assunto facilmente depois de ter fritado o cérebro! Dizem que as máquinas têm sempre razão...

Chegada a hora do jantar, estávamos nós a degustar umas belas espetadinhas quando, subitamente, uma lâmpada do candeeiro da sala explodiu. Sim, explodiu! Ficámos completamente às escuras. Eu e o N. ficámos estupefactos e imóveis nas cadeiras com tão estúpido acontecimento. Só não sei como não me acertou um bocado na tola ou não engoli algum fragmento escondido numa garfada!

Para finalizar, nada melhor do que... falta de água de novo!!! Opá, a quem é que se pode ir reclamar? Então agora isto é prática corrente aos fins de semana? E sem aviso prévio? A malta queria tomar banho para lavar as miudezes... nicles! Queria lavar os pratos com os despojos do jantar... nicles! Idas ao wc... nicles!

Tal não é a moenga, hein!!!

Um Susto do Caraças!

 

Oito e meia da manhã. Sono profundo. Toca o telemóvel. Bolas! Esqueci-me de desligar o raio do telemóvel ontem à noite… Olho para o número, não conheço. Penso que deve ser alguém a bombardear-me de algum call center para me impingir um serviço. Desligo o telemóvel e volto-me para o outro lado da cama.

 

Após mais um tempinho de sono, volto a ligar o telemóvel. Desta vez são as SMS. Uma a dizer que alguém ligou e a outra da minha prima. “Tens uma grande inundação no teu prédio.” Glup! Mas o que aconteceu?! Então com a chuva torrencial não aconteceu nada e agora é que há uma inundação?!

Vestir em 30 segundos e voar até minha casa. Fiz um grande filme pelo caminho. Já estava a ver um rio a escorrer escadas abaixo, imaginei abrir a porta e levar com uma onda em cima, ver tacos do chão a boiar e o sofá e o colchão da cama encharcados até à última partícula.

 

Chego à minha rua, vejo uma série de pinos e 2 sinais. Epá, a coisa parece estar mesmo mal. Mas depois chego à porta do meu prédio e está tudo seco. Que raio… Abro a porta e… tapete da entrada encharcado e de certeza que vai apodrecer todo. Começo a subir a escada. Rés-do-chão com tapetes encharcados. Continuo a subir. Terreno seco. Continuo até chegar ao terceiro andar. Tudo seco. Enfio a chave na fechadura e giro a chave, na expectativa de ver o que iria acontecer. Nada! Tudo na sua placidez habitual e tudo sequinho.

 

Resumindo, deve ter rebentado algum cano no rés-do-chão. Provavelmente quem me ligou deve ter sido a administradora que é mais chata que eu sei lá o quê e é completamente incapaz de fazer o que quer que seja ou de tomar uma decisão. Só é boa pra melgar o pessoal quando nos cruzamos nas escadas e para cortar na casa.

Só vos digo uma coisa… Ca susto!!!